No Amapá, ministro reforça importância de ações em regiões menos desenvolvidas

No Amapá, ministro reforça importância de ações em regiões menos desenvolvidas

Gustavo Canuto conheceu empreendimentos de infraestrutura e habitação na cidade de Laranjal do Jari, na divisa com o Pará
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 08/03/2019 | 18:33

Última modificação: 15/03/2019 | 18:37

Brasília-DF, 8/3/19 - O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, defendeu a necessidade da ampliação de investimentos federais em regiões menos desenvolvidas do País. Nesta sexta-feira (8), ele vistoriou obras de infraestrutura e de habitação em Laranjal do Jari (AP). "Quero dizer aos amapaenses que o Governo Federal dará o devido valor ao estado. O Brasil é muito grande, mas algumas regiões merecem atenção diferenciada. A região Norte tem vários potenciais. Precisamos aproveitar a riqueza que aqui existe e fazer com que ela seja distribuída para a população. O objetivo é que o Governo Federal venha dar infraestrutura para que estados e municípios tenham os meios para conseguir isso: gerar renda, emprego e garantir melhor condição de vida aos cidadãos", afirmou Canuto.

Um dos projetos visitados pelo ministro foi a ponte sobre o Rio Jari, que deveria conectar a cidade amapaense a Monte Dourado (PA) - esta seria a ligação terrestre do Amapá com o resto do País. Segundo o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, que acompanhou a visita nesta sexta-feira, o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional será fundamental para o andamento do empreendimento, uma vez que o custeio da obra, atualmente, é bancado pela Prefeitura de Laranjal do Jari. Além disso, serão necessárias adequações jurídicas para que a construção da ponte possa ser assumida pelo Governo Federal.

"O município não tem quadros técnicos, não tem recursos suficientes para honrar os compromissos de fazer uma obra com esse montante. Nosso pleito é que o Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Regional, possa construir um caminho jurídico e de decisão política de receber essa obra e que ela possa ser reiniciada ainda este ano. Essa é uma obra emblemática do desenvolvimento regional, ligando o Amapá ao Pará e, por consequência, o Amapá ao Brasil", destacou Alcolumbre.