Justiça Federal determina saída de invasores do Projeto São Francisco

Justiça Federal determina saída de invasores do Projeto São Francisco

Prédio deverá ser desocupado sob pena de multa diária. Grupo também está proibido de se instalar em trechos das obras
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 10/10/2017 | 17:36

Última modificação: 11/10/2017 | 18:34

Brasília-DF, 10/10/2017 - A Justiça Federal de Pernambuco atendeu, nesta terça-feira (10), ao pedido de liminar de reintegração de posse do edifício onde funciona o Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Salgueiro (PE). O recurso foi solicitado, ontem (9), pela área jurídica do Ministério da Integração Nacional, após um grupo de invasores - formado pelos credores da empresa Mendes Júnior - interditar o local impedindo a entrada dos funcionários.

A decisão do Juiz Federal Carlos Vinicius Calheiros Nobre determinou que os comerciantes "se abstenham de ameaçar, ocupar, obstruir ou dificultar o acesso e a posse do prédio onde funciona a Coordenação do Eixo Norte e a Gerenciadora, em Salgueiro (PE); do canteiro da empreiteira EMSA e a das suas subcontratadas; do bombeamento da EB-1; da BR 116 em frente ao prédio onde funciona a Coordenação do Eixo Norte; e dos demais trechos do canal e das obras em funcionamento".

Caso os credores da Mendes Júnior não cumpram a decisão da Justiça, eles estão sujeitos à multa diária de R$ 5 mil. A notificação será feita hoje (10).

Desde a última sexta-feira (6), as obras do Eixo Norte do Projeto São Francisco têm sofrido avarias e depredações das estruturas por parte dos credores. Ontem (9), foi identificado até o furto de uma bomba da comporta do reservatório Tucutu, em Cabrobó (PE). O caso foi registrado na Polícia Civil do município. Leia mais.

No momento, as equipes técnicas do Ministério avaliam os danos causados às estruturas para que as comportas do reservatório Tucutu possam ser reabertas o quanto antes.