Perímetro irrigado Tabuleiros Litorâneos (PI) é destaque na produção de orgânicos

Perímetro irrigado Tabuleiros Litorâneos (PI) é destaque na produção de orgânicos

Publicação: 11/02/2015 | 13:40

Última modificação: 20/02/2015 | 16:02

 

Projeto faturou R$ 13 milhões e gerou 2,7 mil postos de trabalho em 2014. Acerola é o carro-chefe.

Brasília-DF, 11/2/2015 - A agricultura orgânica certificada é destaque no perímetro irrigado Tabuleiros Litorâneos, no Piauí. A produção rendeu cerca de R$ 13 milhões e gerou 2,7 mil postos de trabalho fixos e temporários - com influência em mais de 20 setores da cadeia produtiva - em 2014.

O perímetro tem aproximadamente 2,5 mil hectares. Desse total, 800 estão em plena produção - 80% destinados ao cultivo de orgânicos. A maior parte da área plantada é dedicada à produção de acerola: mais de 6,5 mil toneladas da fruta foram cultivadas no ano passado. Mas no local também há espaço para caju, coco, goiaba, mamão, manga e melancia.

A qualidade dos produtos é reconhecida em todo o Brasil. Grandes empresas do ramo adquirem as frutas e as comercializam nas centrais de abastecimento das capitais e nos supermercados das regiões Nordeste, Sul e Sudeste.  Já a acerola orgânica certificada é exportada indiretamente por uma multinacional que compra com os produtores do Distrito de Irrigação, por meio das cooperativas Biofruta e Orgânicos e da empresa Acepar.

O gerente-executivo do distrito de irrigação, Francisco Suassuna de Alencar Neto, explica que a fonte de suprimento hídrico do Tabuleiros Litorâneos é o rio Paranaíba, cuja captação está localizada próxima à foz, sem conflito entre o abastecimento humano e a geração de energia. "A água que teria como destino o mar gera o desenvolvimento", explica Suassuna.

Sobre o perímetro

O perímetro irrigado Tabuleiros Litorâneos está localizado nos municípios de Parnaíba e Bom Princípio, na região litorânea do Piauí. O projeto é cortado pela BR-343, que dá acesso a Parnaíba (16 km) e á capital Teresina (330 km). 

Empreendimento do Ministério da Integração Nacional (MI), o perímetro é gerenciado pelo Departamento Nacional de Obras Contras as Secas (Dnocs), autarquia vinculada à pasta.

Foto: Joseph Wong Kai Yan